quinta-feira, dezembro 29

REIKI

O Reiki é uma terapia desenvolvida no século dezanove pelo japonês Mikao Usui. Não se trata de uma massagem. Apenas se aproxima as mãos do corpo da pessoa e se deixa que a energia do nosso corpo flua para ela. O ideograma Ki do Reiki é o mesmo que aparece em Aikido. Representa a energia. Sempre tive curiosidade pelo Reiki. Tenho andado à espera de encontrar alguém em que pudesse confiar que me indicasse um verdadeiro especialista do assunto. Descobri outro dia que uma minha colega do yoga tem o grau máximo do Reiki. Entretanto estou a escrever este post por uma excelente razão: ainda não percebo nada do assunto.
Li há uns tempos na FNAC uma história que me intrigou um pouco. Queria partilhá-la com os leitores deste blogue. Mikao Usui era o reitor de um seminário cristão no Japão no tempo da revolução Meiji. Mikao costumava usar como grande argumento para converter os japoneses à sua fé o facto de Jesus realizar milagres. Para ele, essa era a grande prova da dividade de Jesus. Um dia um grupo de alunos do seminário perguntou-lhe se era ainda possível fazer milagres. Já que existiam provas tangíveis do poder da religião católica, queriam saber se a fé poderia ajudar alguém a curar outros.
Usui ficou extremamente perturbado com esta pergunta e depois de uma longa meditação resolveu resignar da sua posição no seminário e não descansar até poder mostrar que se pode curar alguém pelo poder da fé. Depois de estudar as mais diversas tradições sem ter obtido quaisquer resultados, iniciou um longo jejum. Quando já estava no limite das suas forças chegou-lhe finalmente a inspiração divina. Foi então que criou o Reiki.
O Reiki é actualmente muito popular nos Estados Unidos, com centenas de milhar de praticantes. Em Portugal já devem existir pelo menos uma meia centena de terapeutas. É fácil encontrar anúncios nos jornais. Estão misturados com os anúncios de outro tipo de massagens bem mais populares. O Reiki tem tido um estatuto bem mais controverso do que o do Do-in, uma outra técnica japonesa inspirada nos princípios da acupunctura. Os médicos põem em causa a sua eficácia. Alguns grupos de cristãos fundamentalistas não consideram que se trate apenas de um efeito placebo. Acham que é uma prática diabólica.
Não compreendo muito bem o raciocínio de Usui. Se os milagres de Jesus eram uma manifestação especialmente poderosa de uma técnica semelhante ao Reiki, não significaria isso que não podemos usar os milagres como uma prova da divindade de Cristo?
Termino este post com algumas perguntas.
1. Acham possível que uma técnica como Reiki seja mais do que um efeito placebo?
2. Acham que Jesus Cristo efectuou curas extraordinárias?
Acham que essas curas eram uma violação das leis da natureza?
(É essa a definição habitual de milagre)
3. Acham que é possível que as curas eventualmente efectuadas por Jesus possam ser replicadas por outros seres humanos?
4. Para os cristãos: a vossa fé depende da crença na divindade de Jesus e da crença no facto de ele ter efectuado actos sobrenaturais?

30 comentários:

on disse...

1. Acho. Apesar de este tipo de energias não ser reconhecido pela ciência, não é garantido que não possam existir.

Acredito profundamento no princípio filosófico da caridade:
Ouvir os outros e tentar encontrar no que dizem algo que faça sentido, mesmo que não se expressem da forma mais articulada possível ou mais aceitavel para os nosso padrões.

O princípio da caridade deve ser tmperado pela dúvida metódica.

2. Acredito que sim, embora não possa garanti-lo.

3. Se ele as efectuou, outros também o podem fazer. Até posso nomear uns candidatos.

OMWO disse...

O que eu acredito é que cabe aos praticantes prová-lo. Se funciona deve ser detectável num teste sistemático , independentemente do efeito placebo, pelo mesmo motivo que o efeito do viagra é detectável num teste clínico sistemático, independentemente do efeito placebo.

A não ser que o efeito seja tão raro e tão fraco que seja essencialmente académico. E ainda assim caberá aos proponentes a prova.

Até lá eu acredito caridosamente...tanto como acredito, é claro, caridosamente, nas outras formas de "energia" todas dos tipos do new age, ou que o Papai Noel vive no Polo Norte, ou que jesus foi mesmo concebido sem que Maria tivesse que "fazer a besta de oito pernas" com outro pecador qualquer. Ou seja: Acredito quando mo provarem.

OMWO disse...

Já viste que as iluminações acontecem sempre quando se está "no limite das forças"? Porquê? Duas hipoteses:

1-Porque ao chegarmos ao limite o cérebro desliga os processos inibidores do costume e activa outros mais reconditos aos quais geralmente nao temos acesso.

ou

2-Porque se estiveres "no limite das forças" aceitas qualquer parvoice como prova da iluminação, só para acabar com o sofrimento.

Os indios, ao que me dizem, enviavam os putos para o deserto para terem uma alucinação e descobrir o seu "nome adulto". Bom, eu se fosse forçado a passar uns dias sem comida e sem agua no deserto também tinha alucinações. E o mais rápido possivel.

O Setúbal disse...

Fico-me pela primeira pergunta, ou seja, encalho logo aqui: "apesar de este tipo de energias não ser reconhecido pela ciência, não é garantido que não possam existir". Embora esta posição não seja claramente errada, necessita de ser substanciada: para alguns, leis como a da conservação da energia ( e não da "energia" reiki, ou orgone, ou libido, ou...) são proposições necessárias. Partindo desta posição, a maximização da verdade do interlocutor garantida pelo princípio da caridade tem efeito nulo. Partindo da tua posição, em que tudo é possível (excluindo, suponho, as impossibilidades lógicas), o princípio da caridade é supérfluo. Suponho que muitas pessoas qualificariam a tua posição como flexível ou aberta; eu diria que é mole.
(Acrescento que, aplicando no mesmo contexto, dúvida metódica e princípio da caridade são totalmente incompatíveis; por outro lado, o que definiste foi o princípio da humanidade e não o da caridade).

OMWO disse...

a navalha de Occam corta as goelas ao principio da caridade...

O Setúbal disse...

E a rasoura de Occam dá-nos uma cerveja com menos espuma (menos "fuzzy")!

on disse...

Calma aí,
começando pelo Setúbal, que está aqui mais à mão.
A minha caridade vai até perder umas duas ou três horas a assistir a uma sessão de Reiki.
Quando lá chegar, uso a dúvida metódica. Não há contradições.

Existem à partida algumas razões para dar uma hipótese ao reiki.
Qualquer pessoa que tenha feito uma arte marcial acaba por falar de ki.
Acredito que o ki possa ser explicado em termos puramente biomecanicos.
Até tenho umas ideias sobre o assunto.
Mas a verdade é que, na falta de algo melhor, dá jeito falar em ki.

OMWO,
isto é só a primeira parte de um post sobre o reiki. Calma!
A questão do teste sistemático.
Se alguém quiser ter fundos do estado para investigar o que quer que seja,
acho bem que esteja disponível para fazer testes sistemáticos.
Quando eu pago aquilo que quero pagar do meu bolso, reservo-me o direito de usar os critérios que eu quiser.
Já faço yoga há uns tempos. Os meus actuais instructores não falam de nada que não possa ser entendido da forma mais simples possível. No entanto, eu estou disponível para suspender a dúvida metódica por uma década ou mais sobre algumas afirmações feitas por yogis. Depois logo se vê.

Os milagres: isso fica para logo á noite.

on disse...

Já agora,
muitos cientistas sorriam irónicamente a semana passada quando se falava da possibilidade de vir a prever terramotos.
Também se provou que um objecto mais pesado do que o ar não podia voar, não foi?

O Setúbal disse...

On, mas se eles não se tocam no reiki, onde está a biomecânica? E repara que o meu ataque não foi contra o reiki mas contra as "energias" e, sobretudo, contra o argumentar-se, sem mais delongas, do erro ou das revoluções científicas para o "tudo (empírico) é possível". A previsão de terramotos (longe de estar confirmada) ou os OVMPQA mostram que houve enganos na periferia da ciência. Achas que estamos enganados em relação à conservação da energia? Argumenta. Descobrimos que o limão é um fruto.Podemos estar enganados? Certamente que não!

Carlos Indico disse...

On,
o avião só é mais pesado que ar quando tem os motores desligados.A partir de certa potência superior ao seu peso é mais leve que o ar e por isso voa. Por aqui não vais lá. Estás a misturar peso com massa.
Quanto aos milagres. A discussão é muito boa,entre pessoas tolerantes, mas dura até ao cançasso.Porque quase nada sabemos do nosso cérebro.A explicação de tudo isto estará, TALVEZ, no conhecimento do seu funcionamento.
Suspeito que A.Damásio persegue este entendimento.

on disse...

Setubal,
Falei de biomecanica a proposito do aikido. Sobre o reiki, nao sei nada.

Não se sabia prever terramotos: tudo bem! O problema é que muita gente tinha raiva a quem achasse que se podias lá chegar.

A lei da conservação da energia está certa por definição. Não existe uma lei da conservação da energia. Existe um princípio em que eu acredito piamente que afirma que ALGO se conserva. Se falhar vamos descobrir o que é que deixámos fugir.

OMWO disse...

ON, nao tenho nada a objectar, pelo contrario, à tua resposta ao meu comentario, nem às seguintes. Assim sendo, nao digo nada.

Bolas. Já disse :)

Quanto aos milagres: algo que acontece não é, por definição, contra as leis da natureza. Apenas mostra que as leis incluem certos casos que desconheciamos. Podes definir milagre como um acontecimento natural de probabilidade muito pequena :), mas tb não sei se tal definição serviria para alguma coisa :)
No fundo só é util definir milagre quando temos uma mitologia por trás. Se assumirmos que o mundo funciona por certas leis da física impostas por Deus, então dá-se um milagre quando Deus intervém pessoalmente, a despeito dessas leis. Mas se não há Deus só há as leis e os seus casos particulares, mais ou menos raros. E como eu "não preciso dessa hipótese..." :))

on disse...

C. Indico,
o avião é sempre mais pesado do que o ar. Os motores deslocam o avião para a frente. O ar impulsiona as asas para cima com uma força superior á força que a gravitação exerce sobre o avião. Quando surgiram os primeiros balões, objectos mais leves do que o ar por causa do ar quente, houve quem provasse a impossibilidade de uma vaião voar. Os cientistas enganam-se muitas vezes. E até adimtem isso e tudo...

on disse...

Ontem estava cansado. Tudo leva a crer que a natureza funciona segundo leis simples. Como dizia Newton, só as condições iniciais é que podem ser complicadas.
Não me choca que Jesus possa ter feito alguns "milagres". Que tenha curado algumas pessoas bastando para isso tocar-lhes durante uns instantes. Nunca o saberemos, mas podemos comparar com outros casos actuais em que as pessoas se afirmam capazes de feitos semelhantes.
Um dos casos é o Reiki. O Reiki afirma mesmo ser capaz de acções à distância, tal como Jesus. Aí tenho dúvidas muito mais sérias, para não dizer mais do que isso.
Outros milagres, como o das bodas de Canaan, já foram há muitos anos, como diz o OMWO.

MC disse...

ON, respondo de forma breve às tuas perguntas. Elas exigiriam uma resposta mais completa, mas temos todo o tempo para voltar a falar delas...

Nota prévia - não sou nada aficcionada por milagres. Nisso, estou como o dito S. Tomé. A minha fé, não se fundamenta neles. Milagre, é a nossa vida todos os dias, e as pequenas redenções que nela ocorrem. Milagre, é tu leres o que escrevo. Pronto.

1ªNão conheço os milagres do Reiki.
Sou fã do Dr. António Damásio. Investiguem o nosso cérebro, ele terá muitas respostas.

2ªApesar dos evangelhos nos relatarem os chamados milagres/sinais de Jesus, não são neles que se fundamenta a fé dos cristãos. Muitos dos relatos dos milagres estão carregados de uma carga teológica/catequética para melhor se compreender a acção/missão de Jesus. Hoje, esquecemos isso, "descascamos" essa carga catequética e fixamo-nos só no relato do milagre. Por exemplo, o das bodas de caná, já aqui falado, é relatado no evangelho atribuido a João e devidamente estudado pelos exegetas bíblicos, percebemos que o relato está cheio de simbologia necessária para os destinatários do evangelho perceberem que Jesus era o Messias esperado.

3ª - Como digo na primeira, somos portadores de forças que nem sonhamos, logo...

4ª - Acredito em Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem (Não sei como é que isso é possível. Não alcanço a totalidade do mistério). A minha fé não se baseia no relato dos milagres, também nunca vi nenhum cego começar a ver ou coxo começar a andar. Mas vejo-me a mim, pecadora, a tentar perceber o sentido da vida e a continuar a acreditar no amor, embora tantas vezes os meus actos, gestos, palavras e pensamentos, são tão carregados de egoísmo.

on disse...

(Não sei como é que isso é possível. Não alcanço a totalidade do mistério)

Não parece que alguém alcance, Maria da Conceição...
Não se preocupe com isso!

MaDi disse...

Existe um hospital em Londres que está a estudar os efeitos sistemáticos de todos esses tipos de técnica na cura dos doentes, incluindo yoga, reiki, cromoterapia, johrei, meditação, etc. Não me lembro agora do hospital, porque já li isso há algum tempo. De qualquer modo, acho que a influência nas ondas cerebrais já está provada, entra-se em estado alfa mais rapidamente.

Desculpem lá, onde é que a lei da conservação da energia não é cumprida neste caso?

on disse...

"Desculpem lá, onde é que a lei da conservação da energia não é cumprida neste caso?"

Há primeira vista seria normal que se alguém "enviasse energia" a outra pessoa ficasse depois com menos energia.
Se a pessoa envia energia e fica com a mesma energia, há uma violação das leis de conservação.

Se aquilo que é transmitido for essencialmente "informação", não há problema. A informação não está sujeita a leis de conservação.

MaDi disse...

On,

Os seres humanos não são sistemas fechados.

Se tu envias energia a outra pessoa, e ficas com a mesma energia, pode ser que estejas a ir buscá-la a outra fonte (?): conservação.

Pode ser que um outro tipo de energia que tu tenhas se transforme: conservação.

Milhões de teorias. Se não há provas, basta especular.

A conservação da energia envolve o Universo todo. Não vale a pena olhar só para as duas pessoas, é só uma pequenina parte.

on disse...

Madi,
estava só a explicar como é que a lei da conservação da energia podia ter algo a ver com o assunto.

O Setúbal disse...

Madi, "A conservação da energia envolve o Universo todo. Não vale a pena olhar só para as duas pessoas...". Não vale a pena é olhar para o Universo todo antes de olhar para as duas pessoas. A conservação da energia é conservação local: as transferências de energia têm de ser verificadas localmente, ou seja, não PODE aparecer um excesso de energia num local, correlacionado instantâneamente com o defeito correspondente noutro local distante.

on disse...

Sobre toda a ciencia, menos aquele niquinho que nos interessa, convem ser o mais ortodoxo possivel 99% do tempo. Não é todos os dias que algo falha. Se formos muito liberais e estivermos a admitir a toda a hora todo o tipo de possibilidades instala-se a confusão e nenhum eventual erro será alguma vez detectado.

O Setúbal disse...

On, totalmente de acordo contigo mas não é esse o ponto da questão que eu levantei acerca das possibilidades. Abreviadamente (demasiado!): é incoerente admitir a possibilidade da falsidade de uma proposição que classicamos de verdadeira (e não "de probabilidade=1").

on disse...

"é incoerente admitir a possibilidade da falsidade de uma proposição..."

Tens toda a razão.

MaDi disse...

"não PODE aparecer um excesso de energia num local, correlacionado instantâneamente com o defeito correspondente noutro local distante."

Porquê?

O que é um local distante?

O Setúbal disse...

Madi, "local distante" foi um exagero retórico porque de facto a idéia é válida mesmo para dois locais adjacentes: qualquer transmissão de energia (e de qualquer quantidade que se conserve) não pode exceder a velocidade da luz. Daí a impossibilidade (mais uma!) da transmissão instantânea.

MaDi disse...

Por enquanto, o setúbal. Mas olha que a velocidade da luz ser constante é uma das coisas que alguns físicos querem provar que não é verdade :)

on disse...

A velocidade da luz pode variar (muito lentamente) com a idade do universo mas, em cada instante, é fixa. E não pode ser ultrapassada.

Artur disse...

Afinal.... respostas há muitas!!! Faltam, porém, as perguntas certas. Todos falam das "energias", porque é mais fácil compreender e aceitar o ki (do Reiki, do Aikido, etc, etc.....), um conceito filosófico/taoista e por isso se ignora (ou finge-se que se ignora) o "Rei", a Energia, o Mistério (consulte-se a entrevista conhecida de Mikao Usui: "de forma misteriosa fui tocado... e compreendi que me fora concedida - por quem, meu Deus? - a arte espiritual da cura"); ou então o Memorial: "arte secreta (?) de convidar a felicidade"... Convidar??? Convidar o quê?!!!
Um grande abraço as todos.

Anónimo disse...

Very nice site! buspar estrella 21 7 hotmail wellbutrin compare buspar composition ritalin adderall concerta Sending ringtones via mms buspar California ford mustang sale why use online payment systems Wellbutrin xl loose weight Malli fluoxetine 20mg Hair loss and high blood pressure mesotherapy chat dsl Tennis court windscreen Car gps price Xenical sale refinance