quarta-feira, dezembro 28

A mais velha profissão


Durante a pré-campanha voltámos a ouvir os comentários do costume sobre as coitadas das prostitutas exploradas pelos homens. O Francisco Louçã e os outros acreditam mesmo nas coisas que disseram?
Acredito que existam redes que exploram mulheres. É bem provavel que muitas tenham caído na prostituição depois de terem perdido o emprego. Também me parece indiscutível que muitas jovens escolhem essa via após uma análise racional da situação: não tém problemas morais de maior, não encontram outra opção "profissional" que se possa comparar com esta em termos de rentabilidade. Acham que a Anita é uma mulher explorada? Podem crer que não. Mais que não seja, porque não é uma mulher.
Parece-me claro que a percentagem de pessoas que se dedicam à prostituição sem ter sido coagidas por terceiros ou por necessidades monetárias prementes está a aumentar. Até já existe um novo género literário: o diário da call girl. Foi criada na Holanda uma escola especializada nesta profissão.
Se a prostituição é a exploração da mulher pelo homem, porque é que os homens (travestis, homossexuais, gigolos) já representam um quinto da oferta nos anúncios do Correio da Manhã ou do DN? Os prostitutos masculinos não são explorados, pois não? E porque é que uma percentagem razoável dos anúncios já se destina ao público feminino ou a casais? O que é que se quer dizer quando se usa o termo "explorar"?
Sendo a prostituição legal em Portugal, basta ver os anúncios nos jornais, porque é que não paga impostos? Estamos a criar uma nova geração de jovens habituados a ter tudo e trabalhar pouco. Sendo cada vez mais difícil arranjar um emprego bem pago, tudo o que se faça para tornar certas saídas profissionais um pouco menos lucrativas só nos deixará dormir mais descansados.

25 comentários:

MC disse...

Alvitro, já eu, rapaz!
Nestas coisas nunca há verdades absolutas. Na prostituição, há realidades distintas. É um facto que a prostituição não é exclusivamente feminina. Mas acredito que devido a diversos factores sociais/profissionais, etc., seja na vertente feminina em que há uma maior exploração. Melhor dizendo; na prostituição feminina deve haver mais casos em que a mesma surge como uma "necessidade". Quanto a uma possível legalização da mesma, não concordo.

on disse...

Maria da Conceição,
costumas ler os jornais?
Hoje, no correio da manhã online:

A... Inexperiente!!! 18a!!! Ruivinha... Peitinho 42!!! Lindissima!!! Perninha Grossa!!! Completissima!!! Vem... provar-me!!! (30P) Lisboa 962423421- 967748628

Se a prostituição não está legalizada, o que é que falta?

MC disse...

ON, costumo ler jornais, essa secção, não. ;)E se alguma vez o faço, sinto logo com brutalidade a pacatez da minha vida ;)
Quando se fala em legalizar, é a malta pagar os 21% pelos serviços prestados. Porque é disso que se trata, não?
Visto na tua perspectiva, é claro que está mais que "legalizada".
Mas eu vejo sempre isto numa perpectiva global, e nesse sentido, repudio todo o mercado sexual, sobretudo em crianças e adolescentes, da Ásia e outros países do chamado terceiro mundo. Uma coisa é a "boazona" que gosta de ganhar a vida desse modo, outra é a criança obrigada a prostituir-se.

on disse...

MC,
estamos a falar de Portugal, ok?
Em Portugal a prostituição não só está legalizada de facto, como goza de uma situação de previlégio: não paga impostos.
Achas bem que tenha direito a esse previlégio?
Não estarás objectivamente a incentivar a prostituição com essa atitude?

Carlos Indico disse...

É a 2ª mais antiga. A 1ª é a Informação, porque era preciso saber onde estava essa.

MC disse...

"Não estarás objectivamente a incentivar a prostituição com essa atitude?"
Objectivamente, não!

Ó On, mesmo que elas e eles tenham de andar com os livrinhos de recibos verdes, achas que íamos lucrar muito com isso? Passavam 1 por semana e diziam que era da crise. Achas que se arranjavam fiscais isentos para fazer a fiscalização? ;)

Já agora deixa-me saudar o C. Indico, que já há tempos que não me cruzava com ele :)

MaDi disse...

Desculpem-me mas eu vou tirar a seriedade toda deste assunto e convidá-los a fazer o teste que recebi por e-mail, que vem mesmo a calhar com este tema;)

http://www.purescore.com

MC disse...

Ó porra, Madi, lá me caiu mais um mito. Apareceu-me o demo o próprio!

on disse...

Madi,
falta-me um software qualquer no meu computador de casa. Não consigo entrar no teste. Fica para depois.

on disse...

A Tragédia de Viseu

Os recibos podem funcionar, MC. É uma questão de se querer que funcione...

Mudando de assunto: o que aconteceu em Viseu foi uma verdadeira tragédia. De um dia para o outro apareceram uma dúzias de jovens que puseram os machos de meia idade de cabeça à roda. Muitas famílias ficaram desfeitas, suponho. Nalgumas deve até ter faltado o dinheiro. Como é que se resolvem estes problemas?

Acho que não podemos esperar que seja o estado a proteger-nos destas eventualidades. Provavelmente teríamos de viver num regime semelhante ao iraniano para conseguir evitar estes percalços. Uma mulher corre um gande risco quando aceita ficar em casa, economica e emocionalmente dependente do marido. Felizmente é um problema parcialmente ultrapassado.

on disse...

Um problema novo:

Convém lembrar que todas as prostitutas já foram meninas inocente de três anos que brincavam com bonecas. Quando nos deixamos levar pela sociedade de consumo em que vivemos e damos à nossa sobrinha muitos mais brinquedos do que ela precisa, e deixamos que ela fique com uma ideia falsa sobre as dificuldades da vida, estamos a colocá-la em risco.

Calvin disse...

Caso a prostituição fosse legalizada, o que é que impedia uma mulher desempregada e inscrita no Centro de Emprego de ser chamada para trabalhar num bordel? :o)

Calvin disse...

Madi, fiz o teste e não percebi nada. :oP Aquilo mede o grau de pureza de quê? :o)

on disse...

Calvin,
a prostituição está legalizada. Só quero que, além disso, pague impostos. Mais nada.

OMWO disse...

>Caso a prostituição fosse legalizada, o >que é que impedia uma mulher desempregada >e inscrita no Centro de Emprego de ser >chamada para trabalhar num bordel? :o)

Boa. Isso é um argumento a favor, não é? :)

Podia sempre deixar de receber o subsidio de desemprego. Também ha quem não se sujeite a ir apanhar lixo.

on disse...

Umas semanas atrás o expresso fez uma reportagem sobre as prostitutas da Praça da Figueira. Entrevistaram uma delas, cuja idade rondava os setenta anos. Disse que as filhas estavam bem casadas e ela só ia ali por hábito, para se entreter. Já não precisava do dinheiro.
Vitor Raínho escreveu na sua coluna de opinião que a senhora devia receber uma reforma. o homem não leu o artigo do jornal onde escreve?

on disse...

Calvin,
acho que não percebi o teu argumento.
Só depois de ler o OMWO é que cheguei lá. Boa piada!

Calvin disse...

Mas é um facto que não sabia que estava legalizada. Faux pas.

OMWO disse...

>Calvin,
>a prostituição está legalizada. Só >quero que, além disso, pague impostos. >Mais nada.

Que chato, ON. Essas miudas (e os "tipos" como a "Anita") são talvez as unicas pessoas, além dos agricultores, que fornecem um trabalho com alguma utilidade real.

Acho que merecem bem umas benesses :)

Controle sanitário do produto, isso sim já era desejável...

on disse...

Então, ninguém nos diz que resultado obtve no teste da Madi?

( http://www.purescore.com )

OMWO, tu deves rebentar a escala...

sofia disse...

Calvin... Diz lá qual foi o teu resultado e deixa-te de coisas... :)

OMWO disse...

eu sou do mais puro que há!...

The only honest guy in town! >:->

OMWO disse...

Fui ver o teste....é uma tacanhice puramente adolescente para chocar catolicos e crianças. Não merece o esforço.

E não, não te digo o meu score :)

OMWO disse...

>Estamos a criar uma nova geração de jovens >habituados a ter tudo e trabalhar pouco.

Quem é que trabalha pouco e tem tudo? As prostitutas? Não concordo. Vai dizer isso às miudas do técnico, a gelar de frio no inverno e a aturar idiotas. Acho que trabalham o que chegue para o que ganham.

>Sendo cada vez mais difícil arranjar um >emprego bem pago,

ou um emprego tout-court

>tudo o que se faça para tornar certas >saídas profissionais um pouco menos >lucrativas só nos deixará dormir mais >descansados.

Concordo. Comecemos pelos jogadores de futebol. E a lista é muito, muito grande, antes de chegar às prostitutas.

De qq forma, o valor dos impostos só vai ser transmitido ao consumidor :)

Um afterthought: Se o estado cobrar impostos sobre a prostituição, não se torna um proxeneta? Isso não espantaria ninguém claro, já que a AR sempre esteve cheia de chulos...

clube de fãs da Anita disse...

um bocado bruta!...