sábado, dezembro 24

FELIZ NATAL

Boas Festas? Quando desejo algo de bom a alguém, desejo o melhor possível. Ninguém deveria ficar zangado por lhe desejarmos aquilo que para nós é o melhor possível. Neste caso, o melhor é o Natal. Ateu católico, porque foi dentro do catolicismo que me tornei ateu, acho que o Natal também é meu. As memórias que tenho de todos os natais que passei, umas melhores, outras piores, são minhas.
O cristianismo é única religião que estabeleceu uma demarcação entre o sagrado e o profano, entre Deus e César. Jesus Cristo está na origem da diferença radical entre a civilização ocidental e todas as outras. Em ultima análise, foi do estabelecimento desta demarcação que resultaram o renascimento, o desenvolvimento da ciência moderna, a revolução industrial, a liberdade de expressão, os complexos de culpa pós-modernos dos ocidentais, o ateísmo enquanto fenómeno de massas, o domínio do sul pelo norte e a bomba atómica. Merece sem dúvida que lhe seja dedicado o dia mais importante do ano.

Feliz Natal!

11 comentários:

lino disse...

Assino por baixo.

M disse...

Gostei muito deste post. Há uma sensibilidade e um respeito muito grandes nele. Boas Festas, On!

3 duvidas disse...

(...)" Jesus Cristo está na origem da diferença radical entre a civilização ocidental e todas as outras. Em ultima análise, foi do estabelecimento desta demarcação que resultaram o renascimento, o desenvolvimento da ciência moderna, a revolução industrial, a liberdade de expressão, os complexos de culpa pós-modernos dos ocidentais, o ateísmo enquanto fenómeno de massas, o domínio do sul pelo norte e a bomba atómica."

Explique-me como se eu fosse muito burra...

1. Como consegue estabelecer tal demarcação tendo em conta a mensagem original de Jesus Cristo que considerou TODOS OS SERES HUMANOS em igualdade perante Deus?

2. Ainda mais difícil...
O que é que Jesus Cristo tem a ver com a bomba atómica?

3. Já agora...
O que é exactamente um "Ateu católico"?

Obrigada! :)

on disse...

Dúvidas,

1. Convém começar a ler o paragrafo pela primeira frase:

"O cristianismo é única religião que estabeleceu uma demarcação entre o sagrado e o profano, entre Deus e César."

Quando o imperio romano do oriente caiu a zona de implantação do cristianismo coincidia com a europa ocidental. Considero que a europa ocidental evoluiu de forma diferente do resto do mundo essencialmente por causa dessa demarcação. Não concorda? Se estiver interessada, posso explicar isso num post.
Não dá para tratar agora em duas linhas. Não estou a afirmar que JC considerou que os europeus constituiam o "povo eleito".

2. Faço uma lista das multiplas consequencias, em ultima instancia, da demarcação entre o sagrado e o profano. Acha que são todas obvias menos a ultima ou acha que nehuma é obvia e limitou-se a apontar o caso que lhe pareceu mais ridiculo?
Conhecer melhor o seu ponto de vista permitirme-á responder de uma forma mais precisa à sua pergunta.

3. Um "ateu católico" é um ateu nascido num ambiente católico. É muito diferente de um ateu hindu. Alguns valores da civilização em que nascemos ficam para sempre impregnados na nossa pele. Os ateus não são todos iguais.

3 duvidas disse...

Quero em primeiro lugar agradecer o seu "esclarecimento" às minhas provocações.Indo um pouco mais além gostava de dizer que...
1.
Não se preocupe a explicar a história do cristianismo e do império romano. Sendo a História a minha formação académica, conheço esses meandros.
Ora a difusão do cristianismo, ao tempo do Império Romano, foi muito além da europa ocidental. A Ásia Menor, a Síria e a Palestina foram áreas de influência e de domínio romano e aí se encontram ainda hoje cristãos árabes, turcos, sírios, libaneses, etc.
Ou seja, penso que o cristianismo foi importante na formação da cultura e da mentalidade da Europa Ocidental, mas não foi a única influência, nem protagonizou sozinho essa radicalidade toda... Consideremos também outros contributos: culturas grega e romana, influência do judaísmo e, no sul, a presença árabe por cerca de 800 anos.
Por estas razões não concordo consigo quando afirma:
"Jesus Cristo está na origem da diferença radical entre a civilização ocidental e todas as outras."
Do meu ponto de vista há mais factores a ter em conta nessa "diferença radical" (que nem me parece assim tão radical).
Além das influências que já mencionei, dou mais um exemplo: o Iluminismo e as suas novas propostas de organização política e social, onde a ideia de Estado laico se anuncia para se concretizar com sucesso nas Revoluções Liberais.
No mundo árabe não ocorreu um Iluminismo, nem Revoluções Liberais e jamais saberemos o impacto que esses aspectos teriam tido se...

Ainda que não nos agrade a associação do cristianismo ao poder temporal, como durante séculos ocorreu na Europa Ocidental, temos de aceitar esse facto histórico e os dislates subjacentes, sem assumirmos culpas retroactivas pelos nossos tataravós.
Foi assim, no tempo em que não estávamos ainda aqui. Não podemos assumir responsabilidades por factos que ocorreram antes de nós.
O nosso tempo é HOJE!
E do HOJE é que somos Responsáveis, sobretudo para não repetir as asneiras.

2.
A demarcação entre o sagrado e o profano, como sabe, existia antes do cristianismo. A radicalidade do cristianismo não está aí.
Há 3 aspectos novos e muito mais radicais:
a)Um novo entendimento do Ser Humano;(Iguais/Irmãos porque filhos de Deus)"Já não há escravo nem senhor..."
b)A ideia do Perdão;
c)A Fé na Ressureição;
Estes sim, são aspectos de radicalidade e inteiramente novos quer naquela época, quer hoje, já que não temos muitos exemplos de gente a acreditar e a viver de acordo com essas ideias.

3.
Não tenho nada a dizer sobre os seus caminhos de Fé...
Partilho aqui o que acredito:
que não pode a Fé de uma Pessoa fundar-se (ou afundar-se), pelo que lhe é dado apreciar numa organização humana chamada Igreja Católica (ou outra qualquer).
Deus É para além disso tudo, não se limita às organizações humanas, nem cabe nas nossas palavras, nem fica aprisionado nos gestos.
Deve ter imensa paciência para gostar destes seres meio doidos que aqui vivem e nós é que O fazemos à nossa medida porque queremos entender tudo.
(Herança cultural do racionalismo grego, renascentista e iluminista. eh! eh! eh!)

Enfim... já viu que eu sou uma Mulher de Fé "pouco católica".

on disse...

Cara Dúvidas,

No século passado não era preciso ler as obras completas do Mircea Elíade antes de escrEver um postal de Natal. A internet está a modificar o mundo:)

"Ainda que não nos agrade a associação do cristianismo ao poder temporal, como durante séculos ocorreu na Europa Ocidental, temos de aceitar esse facto histórico e os dislates subjacentes, sem assumirmos culpas retroactivas pelos nossos tataravós."

Absolutamente de acordo! passo o tempo a dizer isso.

Os três aspectos do cristianismo que são importantes para si não são essenciais para mim. O fundamental para a existencia da ciencia moderna é a separação entre o sagrado e o profano.

"No mundo árabe não ocorreu um Iluminismo, nem Revoluções Liberais e jamais saberemos o impacto que esses aspectos teriam tido se..."

Não ocorreram porque não podiam ocorrer. Fiquei um pouco surpreso quando um turco a fazer um doutoramento em robotica me explicou que a grande vantagem do Islão é o facto de ser um sistema que engloba toda a vida humana, não separando a igreja do estado. O PhD não ia mudar nada.
Acho que é possível que um país islâmico acomode modificações que tenham ocorrido noutros países a nível social ou cultural: os jovens turcos importaram o estado laico, os arabes assimilaram e transmitiram a cultura helenica depois da conquista de Alexandria. Não me parece possível que ocorram no mundo islâmico rupturas originais a estes níveis.

As rupturas importantes ocorreram todas no ocidente.

3 duvidas disse...

:)
Obrigada pela resposta.

Respeito a sua visão do mundo.
Concordo com quase tudo o que diz.

Discordo do seu amigo turco!

A História está cheia de rupturas e talvez estejamos, neste momento, num ponto crucial sem o conseguir entender na totalidade. É como se estivéssemos no olho de um furacão sem poder ver tudo o que se passa e as consequências que virão depois da passagem.

As minhas dúvidas continuam...
Ainda bem.
Foi ousadia dizer que eram só 3.
Vou passando por aqui (como sempre) e vamos conversando.
Ana Borges

on disse...

Por cá estarei, Ana :)

OMWO disse...

ON, quase tudo do que me agrada na nossa civilização e que tu dizes existir "por causa de..." eu julgo existir "apesar de..."

A nossa base está nos gregos e não numa seita fanhosa do médio oriente que infelizmente Roma não soube limpar do mapa a tempo. Aliás, em muitos aspectos, ainda não recuperámos tudo o que perdemos pelas influências funestas do pobre crucificado e da Igreja que nasceu para se engordar em seu nome.

on disse...

Obviamente que os gregos são um ingrediente fundamental. Mas é preciso não esquecer que foram os árabes os fieis depositários da civilização helenica e não os cristãos. Foi através deles que nós recuperámos essa tradição.
O Islão não conseguiu continuar a desenvolver essa tradição e acabou por a deixar morrer. Foi na civilização cristã que a cultura grega conseguiu renascer.
Porquê? por causa da separação entre o sagrado e o profano.

Agora vou-me deitar. Amanhã volto ao tema. Estavas a fazer falta:)))

on disse...

A discussão continua aqui.