segunda-feira, junho 27

Zen


Lembro-me muitas vezes de um desempenho do Joaquim Monchique que ouvi o ano passado nos cromos TSF. Não por causa das graças do bispo Tadeu, mas porque quando estava a ouvir o programa de rádio eu estava mais vivo do que o costume. Era mais eu. Talvez porque tinha acabado de fazer uma hora de meditação Zen num pequeno templo que existe no quintal de um prédio na Morais Soares.

O que é que se passou na sessão de meditação? Dois períodos de meditação de meia hora na posição de lotus, tomando consciência do nosso corpo, da forma como respiramos, sem interferir. Não devemos estar a pensar em nada mas se fizermos um esforço nesse sentido obteremos o resultado contrário. Temos apenas de deixar os pensamentos passar, de forma desapegada. Durante o intervalo caminhamos lentamente em torno da sala, desentorpecendo as pernas, continuando a meditação. No final realiza-se um pequeno ritual.
A postura é extremamente importante. Os joelhos devem pressionar o chão. Só assim conseguimos manter uma posição estável e as costas direitas. Enquanto os nossos joelhos pressionam a terra a nossa cabeça caminha para o céu. É como se o nosso corpo estivesse em perpétua expansão.

Passamos as nossas vidas remoendo o passado, preocupando-nos com o futuro, desperdiçando o presente. A única coisa que o Zen tem para nos dar é ajudar-nos a viver um pouco mais intensamente cada momento. Mas isso é quase tudo.
Mas afinal porque é que é importante estar sentado sem fazer nada durante uma hora? Não podíamos aproveitar melhor o nosso tempo? As zonas mais primitivas do cérebro estão constantemente a vigiar o equilíbrio do corpo humano através da análise da temperatura do corpo, da composição química do sangue e de outros indicadores do mesmo tipo, tomando medidas para corrigir os desiquilibrios encontrados. Quando o stress aumenta o sistema nervoso central não pode dar a atenção necessária ao nosso corpo. Períodos prolongados de stress põem a nossa saúde em risco. A adopção da postura e da respiração correctas, acompanhadas da redução da actividade intelectual criam condições para que o nosso sistema nervoso possa restabelecer o equilíbrio da nossa fisiologia. Todo o nosso organismo é assim revigorado.
A meditação Zen é um método de treino da consciência através do treino do corpo. A forma de consciência mais básica, a pura consciência da existência, está associada aos mecanismos de auto regulação referidos acima. A forma com esta consciência está relacionada com a actividade do neocórtex é complexa. A descrição dada por António Damásio para os mecanismos que explicam estas relações parecem estar em concordância com as concepções tradicionais do Budismo Zen. Em particular com os ensinamentos de Taizen Deshimaru (foto abaixo). Podem encontrar aqui um interessante artigo sobre este assunto.

Passamos a vida a ouvir falar da necessidade de realizar actividades de relaxamento. Relaxar não resolve nada. Podemos sempre relaxar afastando-nos dos nossos problemas. Se estivermos em risco de perder o controle das nossas vidas, convém que o façamos. Mas quando temos de voltar a enfrentá-los...
Aquilo que necessitamos é de awareness: consciência do nosso corpo, de cada uma das suas partes, daquilo que nos rodeia, do aqui e do agora. É essa consciência que podemos reforçar regularmente através da prática da meditação Zen. Só assim conseguimos ultrapassar situações de stress com danos mínimos. Quando tomamos consciência de uma parte do corpo, o sistema nervoso autónomo dá-lhe mais atenção, aumenta a irrigação sanguínea nessa zona. As tensões diminuem. Reciprocamente, quando surgem problemas numa zona do corpo, a nossa consciência dessa zona diminui.
Só fui uma vez ao dojo Zen da Morais Soares. Pratiquei este tipo de meditação durante alguns meses num pequeno templo budista a caminho para a minha universidade. A minha postura do lotus é muito má e isso complica as coisas. A meditação Zen é um outro nome para o Raja Yoga. As diferenças são mínimas. É muito difícil permanecer em lotus durante meia hora sem tonificar e alongar o corpo com a prática regular de alguns exercícios de Yoga. Como escrevi aqui o Yoga nasceu a partir deste tipo de meditação. O (Hatha) Yoga também proporciona todos os benefícios da meditação Zen, embora de uma forma diferente.

A meditação Zen é uma técnica que não tem nada a ver com uma religião específica ou sequer com um sentimento de religiosidade. Podem ver aqui a foto de um dojo zen cristão na Alemanha. Estes cristãos já perceberam que olhar para o corpo como algo perecível e descartável não é a melhor solução para viver plenamente a vida.

12 comentários:

Calvin disse...

...

MaDi disse...

:)

Menina_marota disse...

Tem piada... eu não remoo o passado. Pelo contrário, encontro alento nele, para viver o presente e, arranjar alento para o futuro…
As coisas do passado ajudam-me a crescer...

;-)

OMWO disse...

A mania do stress...uma coisa que me fez rir neste ultimo filme do Star Wars, foi esta cena: O Darth Vader acaba de assassinar uma data de criancinhas e mergulhar completamente no lado negro. De um catolico podiamos esperar alguma reflexão cheia de fogo e enxofre, mas o C3PO apenas diz:"He's been under a lot of stress lately."
Alguém devia reescrever a queda de Lucifer nestes termos :)

É verdade que um dos primcipais propositos do Budismo é uma especie de antidoto para as dores humanas, mas a mim parece-me que alem disso é interessante focar a propensao do Zen para nos levar mais longe, focando as nossas capacidades num unico ponto. Ha um artigo aqui escondido, vou ver se o escrevo...:)

wind disse...

Obrigada por mais uma "lição":)

M disse...

Deve ser bom fazer esta meditação.

sofia disse...

Faz tudo tanto sentido. Só ler, já acalma. E o "dojo" fez-me recordar o meu. Nunca deveria tê-lo deixado. Não obstante, ainda hoje sei contar até dez, em japonês. :) Nunca passei de tentativas de meditação Zen. Mas mesmo por pouco tempo, senti a diferença. Senti-me mais a mim própria. Cuidarmos de nós, nunca é tempo perdido.

MaDi disse...

Pratiquei Raja Yoga durante cerca de 1 ano e meio, e foram das fases da minha vida em que melhor consegui controlar o meu stress. Apesar de toda a confusão que estava na minha vida naquela altura. Só que era um pouco longe da minha casa e não consegui continuar. Quais são os lugares que conheces que se pode praticar em Lisboa?

on disse...

ok madi,
eu depois respondo. Tenho que organizar um pouco as ideias.

MaDi disse...

ok, on
obrigada.

Anónimo disse...

Enjoyed a lot! »

Anónimo disse...

This is very interesting site... film editing classes