sábado, janeiro 21

Confissões de um eleitor

Cavaco faz-me mal ao estomago. Nesta eleição comecei por apoiar Soares contra Cavaco. Entretanto surgiram novos ataques do PS à PGR. O comando da Polícia Judiciária queixou-se de falta de orçamento para manter a operacionalidade e a tutela assobiou para o ar. Sucederam-se as cambalhotas do Plano Tecnologico. Soares não se demarcou desta posições. Comecei a interrogar-me se fazia sentido dar um voto simbólico a Soares. Ninguém sabe como Manuel Alegre se comportaria na presidência. Nunca tendo desempenhado um cargo executivo, não possui o pragmatismo indispensavel ao desempenho do cargo. Sabemos o que esperar de Louçã e Jerónimo. Até pode ser que vote num deles, uma vez que não vão ganhar. Logo se vê.Uma vez que Cavaco tinha a vitoria assegurada, o meu voto era uma questão puramente académica. A última sondagem veio-me complicar a vida. Se houver segunda volta, vou deixar o aparelho do PS à solta?Se houver segunda volta, logo se vê...
PS: O momento de senilidade de Soares mostrou que a possibilidade de as suas capacidades se deteriorarem durante o mandato é não desprezível. É extraordinariamente grave que o video tenha passado uma vez na televisão e depois tenha sido censurado. É ainda mais grave que ninguém da oposição tenha denunciado este facto. A classe dirigente está lá para nos dar a ilusão que podemos escolher, mais nada. Até Garcia Pereira tem clientes do PSD Madeira e paga-lhes tributo indo à Madeira elogiar Jardim.

4 comentários:

on disse...

Quando estava a publicar o quadro do Picasso perdi o post "Confissões de um eleitor", que recuperei de um rascunho. O blogger às vezes tem coisas estranhas. Perderam-se assim dois comentários. As minhas desculpas aos comentadores.

sofia disse...

Blogs do SAPO.

FOTOESCRITA disse...

A esta hora já votei, mas continuo indecisa se não me enganei. Bem, esperemos que não. Enquanto há vida há esperança. Por enquanto, que eles dão cabo da nossa esperança...

Anónimo disse...

Vamos lá a ver hoje se a comunicação social sempre consegue eleger um presidente...
Hugo