sábado, agosto 13

O livro das mutações



Estamos em plena silly season. Demos o nosso melhor.

Nada á mais difícil do que tomar decisões. Que bom seria conhecer o futuro. Na verdade, prever o futuro é uma das mais velhas profissões do mundo. Se por um lado os fundamentos da astrologia estão totalmente errados, por outro esse não é o ponto chave da questão. Fazer acreditar que se sabe prever o futuro é apenas uma das condições convenientes para conseguir criar o ambiente propício ao desenrolar da consulta astrológica. Se o astrólogo for uma pessoas dotada de uma intuição poderosa, bem intencionada, que saiba de ofício, é possível que essa consulta possa ser a melhor instrumento de decisão à disposição do cliente que o vai consultar. Há poucos disponíveis no mercado. Se...


Na vida, às vezes o que é preciso é arranjar uma solução que funcione. Muitas das decisões que nos atormentam podiam ser tão bem resolvidas pelo atirar de uma moeda ao ar como por qualquer outro método. Desde que o acto de atirar da moeda ao ar conseguisse que a pessoa que a atirou aceitasse a decisão e deixasse de se preocupar com o assunto. Muitas vezes a única alternativa verdadeiramente má que se nos apresenta é não decidir, ou continuar a perder tempo ou a estar atormentado por ainda não ter decidido. Nestes casos, que são muitos, qualquer método de decisão que aceitemos é bom.

Existem vários instrumentos de apoio à decisão que nos podem ajudar a lidar com um problema. Um deles é abrir a Bíblia ou outro livro sagrado numa página escolhida ao acaso e começar a ler a partir do sítio onde apontamos o nosso dedo. A ideia destes métodos é simples: criar uma atmosfera que predisponha a pessoa a aceitar uma decisão; introduzir um novo dado que eventualmente nos ajude a encontrar uma nova solução ou que nos surja com um sinal. Esse dado pode ser uma frase ou um pequeno texto. Os versículos da Bíblia prestam-se lindamente para este fim.Existem métodos mais sofisticados de consulta da Bíblia para fins divinatórios.Quero dizer: como auxiliar do processo de decisão.

O I Ching ou Livro das Mutações, é o livro mais antigo da cultura chinesa. Trata-se de uma tradição oral compilada e recompilada várias vezes. Foi profundamente estudado por Confúcio, que escreveu a versão definitiva. A tradição de Confúcio está ainda hoje viva na Coreia do Sul. A bandeira deste país é composta pelo símbolo de Yin e do Yang e por quatro dos oito trigramas do I Ching.

Leibniz ficou profundamente fascinado por este livro. Leibniz queria desenvolver um calculo universal que pudesse tudo calcular. Um aspecto particular desse calculo era o calculo infinitesimal, criado por ele próprio e por Newton. O I Ching era o primeiro protótipo dum processo de cálculo que nos permitiria tomar decisões de forma racional e perfeitamente mecânica, em tudo semelhante ao método de calculo de um integral. Convém não esquecer que Newton, o outro criador do calculo infinitesimal, escreveu os Principia nas horas vagas dos seus trabalhos de alquimia. Leibniz também ficou fascinado pelo facto de os autores do I Ching terem inventado a numeração binária.


Jung, o psicanalista do post anterior, foi outro grande estudioso do I Ching. Como é que se usa o Livro? Toma-se três moedas, fixando à partida que um dos lados é a cara e o outro a coroa. Atira-se as três moedas anotando o número de caras saídas. Repete-se o processo seis vezes, obtendo uma sequência ordenada de seis números entre zero e três. Obtem-se a partir desta sequência dois hexagramas. Lemos em seguida os textos associados a estes hexagramas, que nos ajudam a meditar sobre a nossa vida e a tomar decisões.
Quando eu e O Setúbal andávamos nos últimos anos do liceu e primeiros da universidade,discutíamos bastante as ideias de Jung e o livro das mutações, entre muitas outras coisas.Quando alguém consultava pela primeira vez o I Ching, o efeito da consulta era em geral muito forte. Não pretendo que o livro tenha quaisquer poderes mágicos mas a verdade é que está muito bem organizado e nos ajuda de alguma forma a pensar sobre a nossa vida.O facto de ter por base a sorte ajuda a retirar-lhe toda carga mística. Não o uso há muitos anos, mas continuo a possuir pelo menos quatro edições do livro. Um antigo colega do aikido conheceu em Paris o autor de uma das versões que eu tenho lá em casa. Diz que é uma pessoa muito simpática, que fala muito bem e que escreve livros sobre tudo. Mesmo sem perceber grande coisa do assunto.Parece que escreveu o primeiro livro de yoga dois anos depois de começar a praticar. Deve ser meu primo.


Não encontrei na net nenhum site a partir do qual se possa consultar facilmente o I Ching. Se encontrar, depois digo. De momento só podem consultá-lo se comprarem o livro. Procurei encontrar uma solução alternativa. Escrevi a um velho amigo, o Professor Off, que se prontificou a interpretar ele próprio os vossos lançamentos de moedas.
Basta enviar a sequência de seis números entre zero e três que obtiveram lançando as moedas. Podem acompanhá-la de uma pergunta. Algum problema sério da vossa vida que queiram resolver. No entanto fiquem cientes que a primeira vez que lançam as moedas o resultado obtido refere-se sempre à situação geral das vossas vidas.

Convém que sigam as instruções. A poderosa intuição do Professor Off permite-me detectar facilmente os casos pouco sérios. Caso queiram permanecer anónimos, escrevam sob pseudónimo.
Já agora, o Professor Off trouxe da Coreia especialmente para vocês vários conjuntos de moedas onde o lado caras é uma baixo relevo de Confúcio himself. Usando estas moedas, dispensadas por uma módica quantia, o Professor Off garante uma melhoria de 17,5% na qualidade dos resultados. As consultas são gratuitas até ao fim do mês. Aproveitem.
O professor Off só acedeu a fazer esta demonstração dos seus poderes devido á grande amizade que nos une deste há uma vintena de anos.
Aviso desde já que todos os comentários jocosos que apareçam neste post serão imediatamente apagados. O Professor Off só tem disponibilidade na sua agenda a partir de terça feira. Podem começar a enviar desde os resultados do lançamento das moedas. Como ele só vai dar um número limitado de consultas, tratem de enviar rapidamente os resultados dos lançamentos das moedas.

12 comentários:

MaDi disse...

On,
Eu consulto o I ching quase diariamente.
Não sabia nada disso que o Leibniz e o Jung estudavam.
Fico sempre pasma a olhar para o livro, porque efectivamente consigo encontrar uma solução. E esta solução está normalmente dentro de nós.
Por acaso tenho uma certa curiosidade, porque já ouvi dizer que os japoneses em vez de utilizarem moedas utilizam uns pauzinhos.
Tens alguma ideia sobre isso?

on disse...

Madi,
Tenho uma colecção de pauzinhos desde os dezasseis anos. Apanhei no campo uns talos de uma planta e sequei-os durante meses.
Eu não tenho jeito para essas coisas. Foi um amigo meu que faz bonsais que teve a ideia e me deu uma ajuda.
É esse o método tradicional de consulta.
Leva mais tempo e ajuda a preparar-nos psicologicamente para a resposta. Evita que façamos quatro consultas por hora, o que levaria ao resultado oposto do desejado.

O que é que queres saber sobre os pauzinhos?
Que versão do I Ching costumas usar?

Eu tenho duas traduções do Richard Wilhelm, em francês e inglês, e mais uma ou duas.

on disse...

Também tenho uma umas moedas coreanas com o Confúcio! Não sei se realmente funciona melhor assim:)))

on disse...

Madi,
Pega-se num certo número fixo de varinhas (cerca de 50) e divide-se em dois grupos de forma aliatoria. Depois executam-se umas operções aritméticas simples ao estilo do ábaco (tira-se um resto modulo quatro, acho eu) e obtem-se um número. Esse número converte-se numa linha do hexagrama. Repete-se seis vezes.
Este método está explicado nas traduções da versão do Richard Wilhelm. A tradução oficial, por assim dizer. Eu sabia os detalhes de cór mas ultimamente não tenho praticado muito...

Se não tiveres essa tradução posso explicar aqui os detalhes da próxima vez que fizer a A8 :)
Tenho que ir buscar o livro a casa.

on disse...

A diferença fundamental entre as varinhas e as moedas é o facto de com varinhas ser um pouco menos provavel aparecerem mutações nos traços. A combinatória é diferente.
Há quantos anos que eu não pensava nesta coisas :)

MaDi disse...

Pelo que dizes, as varinhas são efectivamente mais complicadas de utilizar. Mas continuo curiosa quanto a isso das operações aritméticas :)

AD disse...

Caro Prof. Off, os livros sobre o i ching abundam na web, como era de esperar para uma coisa com mais de 2k anos de idade:)

Vão aqui alguns dados pelo Google (obtidos numa rápida consulta de 5 min:)


Akira Rabelais : Book of Changes

I Ching tr. by Richard Wilhelm

Yi Ching I Ching

THE I CHING OR I CHOU ONE INDIVIDUALS'S [ MIS - ] [ ? ] UNDERSTANDING Version 1.0 7 Septem

Trigrams & Hexagrams

SoYouWanna use feng shui?

Yi Ching I Ching

EL I-CHING VISTO ASTROLOGICAMENTE

The Book Of Changes

The Modern Poet's I Ching, by Thom Williams

Practical Tai Chi - The I Ching

I CHING - O Livro das Mutações



Cmpts
AD

Calvin disse...

O Professor Off ainda está disponível? Se estiver: 1-3-3-3-1-0

Calvin disse...

Tudo aldrabado, só usei duas moedas... :oP

on disse...

Olá Calvin,
mandei hoje o mail ao Professor Off.
Ele promete responder brevemente.

Anónimo disse...

Looking for information and found it at this great site... »

Anónimo disse...

Cool blog, interesting information... Keep it UP » »