sexta-feira, julho 13

Creacionismo

5 comentários:

Alexandre Pierson disse...

Acho que o problema é ainda pior. Tenho que investigar melhor a coisa (já ando para o fazer há uns tempos mas tenho andado muito ocupado), mas parece que a novidade é que o creacionismo se apresenta agora como uma verdadeira teoria científica, e pretende degladiar-se com o Darwinismo no seu próprio terreno.
Claro que o resultado é hilariante, apesar de não me dar grande vontade de rir.

on disse...

Esles querem ser ensinados nas escolas dos EUA em igualdade com o evolucionismo. Depois as pessoas decidem.

maga.pata.logika disse...

Há uns anos largos que vinha lendo avulsamente sobre criacionismo e achei hilariante. Contudo, como se veio a provar (e ainda não chegamos longe demais), é um erro GRAVE ridicularizar uma ideia ridícula mas eventualmente poderosa.

As ideias perigosas têm que ser combatidas com seriedade, independentemente de serem ridículas. Há dias ideias ridículas de momento: que a Ciência é infalível e que a religião é Ciência. A primeira ideia abana até às fundações a própria ideia de Ciência. A segunda pode fazer ruir ambas, possivelmente em tempos diferentes, mas seja de que modo é grave.

Laura disse...

Maga,
explica lá porque é que é um erro grave ridicularizar o creacionismo.
Olha que que nos estdos unidos o creacionismo é combatido sistematicamente. Cá não. Na Europa não existe:)
Nenhum cientista acha que a ciencia é infalivel. Eles passam a vida a procurar os proprios erros.
Dos criacionistas,não podemos dizer o mesmo:)

maga.pata.logika disse...

Laura

Não explico: vai ver ao dererumnatura.blogspot.com

A resposta está lá e é ilógica. Aliás, a resposta não está lá: só lá está a estupefacção de alguém pensar que aquilo tem pés e cabeça. Mas por idiota que possa parecer a mim e a ti... há quem pense que aquilo pode ser tratado como Ciência.

Adorava dar-te razão em relação a não existir criacionismo na Europa, mas infelizmente tenho que te dizer que estás errada! Eu também cometi esse erro.

Não é o criacionismo tem que ser levado a sério: são as pessoas que o defendem. O meu respeito pela religião exige que se mantenha Ciência e religião separadas. E infelizmente os cidadãos têm que se envolver e pressionar os políticos envolvidos na educação. Digo infelizmente porque isto não devia estar a acontecer!