segunda-feira, fevereiro 27

Falta de tempo

Não gosto de ouvir falar em falta de tempo. Normalmente é outra coisa mais concreta que falta. Que tal ser mais especifico?
Também não gosto da palavra nunca e da expressão não sou capaz. Quando digo nunca, normalmente acabo por engolir a palavra. Que tal dizer ainda antes de não sou capaz? Não somos imortais. Já é limitação que chegue.
Subscrevo os desgostos do Lino. Ele podia era explicar porque é que essas expressões o desgostam tanto. Lino, se tiveres falta de espaço no teu blogue, explica nos comentários. Gostava de ver as listas do /me, do Franco Atirador, da Sofia, da Maria da Conceição e da Madi.

21 comentários:

MC disse...

Bom dia!
Primeiro tenho que ressuscitar. E fazer mil e uma coisas... que amanhã só quero ser feliz.

MC disse...

Vejo para aí: "Parabèns" É do blogue?

/me disse...

Está prometido. Não sei é se é para já, mas está prometido. :)

on disse...

É uma ano de blogue, MC:)

Luis M. Jorge disse...

on, eu já fiz essa lista. Aliás, salvo erro, indiquei o seu nome para me suceder. Feliz aniversário.

Anónimo disse...

"Não gosto de ouvir falar em falta de tempo. Normalmente é outra coisa mais concreta que falta. Que tal ser mais especifico?
" parece que me leu os pensamentos de há uns dias (ver 17 e Fevereiro no Jam)

Hugo

OMWO disse...

a minha lista:

"o meu namorado/minha namorada", usado no sentido de o meu dono/dona. Já aboli o casal. Um dia destes vou declarar a pena de morte ao casal.

"monogamia", (compulsória e/ou inquestionada, em vez de vista como algo opcional e até um pouco radical, como uma vasectomia)

"homosexual/gay/heterosexual/bisexual", visto como membership de um clube exclusivo. Os gregos eram omnisexuais, não precisavam de redefinir a sua personalidade a partir do momento em que usavam o esfincter para a sua função menos primária.

"tem que ser assim", "fazes isso depois", "um dia destes", se tivesse seguido estes conselhos a minha lista de livros para ler e coisas para fazer já estaria a sair pela janela. Assim está também, mas de uma forma mais discreta. O futuro não reserva tempo livre -reserva a morte, a senilidade, e a impotência. Tempus fugit. As pessoas que dizem "deixa isso para depois" querem em geral que façamos algo agora e em muitos casoso não por nós mas por elas.

"isso é uma utopia", por oposição à perfeita naturalidade da distopia corrente.

"não tenho coragem para", "não posso" (por oposição a não quero), "sejamos realistas" , isto é, vivamos por falta de coragem de uma forma que não pode jamais ser pior que as piores consequências que poderiamos sofrer se tivessemos tomates para arriscar o passo....

"É claro que...". É?

"Ninguém no seu devido juizo...". Não?

"Estou chocado(a)". Ena.

and the list goes on.

MC disse...

Perdão pela desatenção. Parabéns ao Prozacland, aos bloguistas resistentes e aos que já partiram para outras paragens.

sofia disse...

A do "Estou chocada" era óbvia, OMWO... A tareia que eu levei por causa disso! :)

MC disse...

ON

Cá vêm as minhas respostas. Vou boicotar um bocadinho o jogo. A mim o que me tira do sério não são as palavras. Mas as atitudes por detrás delas. Por isso vou falar de atitudes.

1ª- Gente que usa e abusa de pedidos de desculpas. Quando o arrependimento é sério, basta pedir desculpa uma vez. Se se reincide, é sinal de insegurança e medo de ser aceite. Para mim é um defeito grave.

2ª- Gente de falinhas mansas. Sobretudo mulheres. Os homens identifica-se sempre o motivo. Nas mulheres, quando encontro uma que usa sempre esse tom, penso sempre: "ou é uma santa ou é uma grande dessimulada".

3ª- Quando interpelo alguém e essa pessoa me responde com frases feitas em vez de assumir o que pensa. Tira-me completamente do sério.

4ª- Pessoas que me falam em "alhos" quando queriam falar "bogalhos". Quando as topo, estão feitas comigo.

É tão bom falar dos defeitos dos outros...boa tarde, que tenho de preparar a minha confissão da Quaresma...

MC disse...

PS - Também embirro com gente que dá erros parvos e não corrige, antes de publicar o comentário.

Dessimulada - errado
Dissimulada - certo

:))))

lino disse...

Os desgostos, mesmo que só tenham palavras como objecto, podem não admitir explicações, tal como as razões do coração. Compreendo que o ON se interrogue sobre o que me desgosta em "nomeadamente" e "designadamente": ora, é simples snobeira minha! são palavras utilizadas a propósito e a despropósito de tudo, tal como "razões do coração", e por isso estão
contaminadas. Mas, pior, aparecem com frequência alarmante em tudo o que é soturno documento oficial, ou vulgar redacção de notícias.

Subscrevo os desgostos do ON com excepção (por dever de ofício) da falta de tempo. E concordo também com os do OMWO, com excepção do primeiro da lista.

OMWO disse...

Sofia,
ja sabia que te ias manifestar.
De qualquer forma so te bati para ver a tua pele ruborizar. E...

...porque estavas a pedi-las. Estás *sempre* a pedi-las, aliás :)

Isso...choca-me :)

/me disse...

Ora lá vai:

- Só tu! (vai conhecer o mundo, pah)

- Sou um grande maluco! (há profissionais melhores equipados para lidar com isso que eu...)

- Tu és especial. (ou seja, não gostas de mim)

- virtualmente (quando tradução de virtually...)

- impreterivelmente (imprequê?)

- de todo! (nunca entendi esta expressão... "Gostas de sopa? De todo!" Ein??? Não percebo.)

OMWO disse...

Esquecia-me, esquecia-me!

"Ganda(sic) maluco!"

Uma vez um tipo com o QI de uma libélula morta disse-me, com ar de espertalhão (imaginar voz arrastada "à fadista"):

"Tou-te a topar! Diz lá, diz lá: Tu .... és um ganda maluco...não és?"

e ficou a fitar-me com um olhar espectante, à espera da confissão publica de que a sua perspicácia tinha sido mortalmente certeira.

Como eu não me pronunciásse desde logo, acrescentou:

"Vá lá, confessa!" (com ar de espertalhão)

Eu fiquei paralisado. Que raio é que se responde? "Sim, sou um ganda maluco"? "Não, não sou um ganda maluco?"

A namorada dele revirava os olhos, como quem diz "pronto, mas ele tem um bom rabo"

"Eu topei-te!" - concluiu ele, com ar triunfal.

/me disse...

O que um bom rabo compensa... :)

MaDi disse...

De todo não virá de pas du tout?

MaDi disse...

já lá está!

:)

sofia disse...

OMWO:
É claro que ninguém no seu... (quê? deixa-me ir lá ver...) devido (normalmente até é perfeito que se diz, não é?) juízo, acha que eu estou *sempre* a pedi-las e fica... chocado por isso!
E eu não me manifesto.
(Sabias que eu ia dizer isto, não sabias? Confessa lá...) :)

Anónimo disse...

Uma reflexão para alguns leitores (não estou a acusar, gostava só que pensassem se já fizeram isso): mesmo sem dar conta, durante o processo de ensinar, desiste-se muito depressa de um aluno, levando a que este tome uma atitude de "não consigo" (e não, que me lembre nunca disse esta frase). Conclusão: sempre que uma pessoa diz "não consigo" não quer dizer que não esteja para isso, nalguns casos é caso de uma auto-estima baixíssima, e é preciso ver as razões.

Hugo

Anónimo disse...

Best regards from NY!
effexor in combination with seroquel Seersucker sleeveless blouses continental airline Merck zocor Which essential oil is used for erectile dysfunction 1974 pontiac http://www.high-blood-pressure-0.info/seroquel-canad-prescription.html Subaru wrx sti type ra