sábado, março 14

Philosophy 101

A sala já estava cheia quando o Professor Heiddengstein entrou com uma jarra de vidro debaixo do braço. Era a primeira vez que leccionava o curso de introdução à filosofia. Por onde começaria? Sócrates ou Platão? Pouco original... Talvez Nietzche ou Spinoza. Afinal eram as suas duas grandes influências.
Heiddengstein levanta um balde escondido por detrás da secretária e começa a tirar de lá pedras que coloca cuidadosamente dentro da jarra. Quando acaba a tarefa fita pela primeira vez a audiência. Acham que a jarra está cheia?
O silêncio torna-se embaraçoso. Tantos professores na sala. Uma voz corajosa arrisca um sim. Vários ruidos permitem concluir que é essa a opinião da maioria. A secretária tapava outro balde. Este continha gravilha. Durante longos minutos o professor vai agitando a jarra de forma a que as pedras pequenas vão encontrando os espaços deixados livres pelas maiores.
Quando já não consegue colocar mais gravilha senta-se para recuperar as forças e repete a pergunta. Não espera pela resposta. O novo balde contem areia. Quando já não há mais espaço para a areia Heiddengstein deita a que sobrou noutro balde e abandona a sala por alguns momentos. Volta com o balde cheio de água, que despeja cuidadosamente para dentro da jarra.
Volta a fazer a pergunta. Alguém arrisca um sim. Heiddengstein tira da gaveta um saco cheio de açucar que começa a dissolver cuidadosamente na lama que enche a jarra.
A aula já era suposta ter terminado há longos minutos. Ninguém abandona a sala. Então, agora a jarra está cheia?
Várias pessoas aprenderam a lição: Não, é claro que não está cheia!
(continua)

4 comentários:

MC disse...

a imediatez "mata-nos", certo?

on disse...

Pois...

Anónimo disse...

Nada á primeira vista é verosimil ... a percepção pelos sentidos muitas vezes engana ... e tudo tem o seu quê de profundidade ... nada é tão fácil quanto parece ... nem tão dificil quanto a explicação ou observação ... lei da relatividade ... das quais se tiram ilações importantes ...

outro disse...

relatividade?
que tal ver a continuação da historia?