quarta-feira, maio 14

E por que é que continuas lá, FS?

Sou aluna de uma instituição privada de ensino superior e já fui aluna de um dos chamados grandes cursos numa universidade pública. [... O] que ali se passa é escandaloso. Não se trata de aparecer um ou outro professor sem preparação, trata-se pelo contrário de aparecer apenas um ou outro que tem uma noção mínima do que está a dizer.

Chegou-se ao extremo de actualmente a maioria das aulas serem leccionadas por outros alunos da mesma turma (sim, a maioria, e estou a ser simpática) sob a forma de apresentações de trabalhos. Ora, como costumo dizer aos meus colegas, nem eu ando a pagar para ter aulas com alunos nem eles andam a receber um tostão da universidade para me dar aulas a mim!

Além disso, sofri muitas vezes o dilema de, colocada perante uma dada questão numa frequência, ter de decidir entre responder o que o docente ensinou na aula e que, infelizmente, está incorrecto ou não é adequado, ou dar a resposta correcta e arriscar-me a um mau resultado na prova.
(FS.)


Quando é que as universidades públicas, com nível e com falta de alunos, começam a dar aulas nocturnas?

6 comentários:

Hugo disse...

Hmmmm... pode sempre dar-se o caso de a aluno não estar mesmo a perceber a matéria, e pensar que o professor estar a dizer barbaridades.
Seja como for, comecem as apostas: eu aposto que ela andava em direito :D

mendigo disse...

Ela andou antes numa pública. Fui ler o texto completo. Tem uma bolsa. Parece que é a melhor aluna. Já me tinham chegado ao ouvido histórias semlhantes. Direito? Porquê?

Aplica-se a todos os cursos...

Hugo disse...

Disse direito porque parece-me estranho que em ciências uma pessoa sem conhecimentos chegue a professor. Seria demasiado difícil (ou pelo menos é essa a minha impressão, sendo a minha área).

Pensando agora melhor, tive 2 professores que pareciam não perceber muito o que andavam a fazer.

mendigo disse...

Mas quem é que diz que os tipos que ensinam nas privadas são professores?

Santa ingenuidade:)

Alguns só têm uma licenciatura, às vezes numa área diferente daquela em que estão a ensinar!

O artigo do abrupto explica um pouco como funcionam estas coisas...

Hugo disse...

Estava-me a parecer estranha esta troca de comentários. Fui ler o artigo completo.

Ò ON, então foi cortar a frase: "Não sei o que se passa noutros estabelecimentos de ensino, conheço apenas aquele que frequento actualmente". O que a aluna descreve é o ensino privado, e eu não o tinha percebido com os seus cortes. Assim já me faz sentido isto tudo. É que eu estava a estranhar tudo isto no público, o qual penso conhecer já razoavelmente.

Não era ingenuidade, era engano. :) Já agora: quando falo em professores, significa "pessoas que ensinam", e não o título que se obtém após o doutoramento.
O artigo no abrupto vem dar testemunhos do que já desconfiava.

Já agora, a resposta ao "E porque é que continuas lá, FS?", parece ser porque já gastou o dinheiro e assim acaba com um canudo.

on disse...

Hugo,
basta ler a primeira frase do post!

Qual a razão por que ela continua lá? Uma razão provavel é a falta de aulas em horario pos laboral nas universidades do estado...