sexta-feira, agosto 15

Fazer um artigo sózinho

Uma das coisas que o Hugo quer fazer antes de morrer. Afinal, o que é que o Hugo quer? Assinar um artigo sózinho? Ter a ideia para o artigo? Pode acontecer uma vez, por um golpe de sorte. Acho que ele quer mais, ou vai querer mais. Vai querer ter ideias para fazer artigos. Ser independente. Será que ele já sabe que quer isto tudo?
Como é que se chega lá? Não é necessariamente a forma mais rápida de progredir na carreira...
Trata-se naturalmente de um novo salto em frente. Parecido com o que é preciso dar para passar de bom aluno a investigador. Já agora: em que consistiu essencialmente esse salto?

6 comentários:

Hugo disse...

Até agora, como é natural, tudo o que fiz foi em grupo. Tem sido divertido (aliás, acho que deve ser sempre mais divertido).
Tenho notado em mim uma grande evolução e cada vez mais independência intelectual. No entanto, falta aquilo que acho ser o mais difícil, talvez o derradeiro salto: começar a perceber quais os objectivos/ideias que são interessantes, e o que é lixo. Isto é, chegar a um ponto em que não apenas nos seguimos pelos outros, mas ao mesmo tempo temos uma tal compreensão de uma área que já temos umas ideias de novos caminhos a seguir (mesmo que depois sejam errados)

O culminar perfeito disto tudo seria fazer pelo menos todo um trajecto destes sozinho: ter a ideia, concretizá-la, escrevê-la. Para mim será quiçá o maior salto imaginável.

Note-se que acho que a Matemática não deve ser uma coisa muito solitária, e a acho que faz muito mais sentido quando há muita interacção. No entanto, a produção intelectual solitária seria um grande desafio para "crescer" :)

Sei que andam por aí muitos matemáticos. Pronunciem-se

on disse...

Eu dificilmente tenho pachorra para fazer um artigo sozinho. Mas convem saber que se é capaz.
A outra pergunta que eu deixei tem a ver com o salto para ser capaz de lançar um programa de investigação que faça sentido: o que é que distingue um bom aluno de um bom investigador?
(principiante, claro)

Hugo disse...

Hmmm... o ON saberá responder a essa melhor que eu. Quanto a mim, tento apenas não seguir religiosamente o que dizem os orientadores dizem, tentar volta e meia ir por caminhos diferentes dos que me indicam, e fazer-lhes o máximo de perguntas possíveis acerca do porquê terem decidido uma coisa e não outra.

Anónimo disse...

Eu acho que o Hugo é um excelente aluno.

"(...)tento apenas não seguir religiosamente o que dizem os orientadores dizem, tentar volta e meia ir por caminhos diferentes dos que me indicam (...)"

O que fará dele um bom investigador, será a autonomia de, um dia, ser ele a dizer e a indicar os caminhos aos orientadores.

Sofia disse...

Era eu, ali em cima...
Isto não me deixa ser eu...

Hugo disse...

ON, tinha razão: o meu post sobre imigração começa agora a ter comentários :P