terça-feira, maio 29

Ir à missa

Amanhã vai haver greve geral, li num blog.
Não será cada vez mais a greve um acto liturgico?
Fazer greve por um dia, quando não se trabalha num sector nevralgico, terá verdadeiramente consequências?
Qual é o sentido de fazer greve quando por exemplo se trabalha numa empresa prestes a fechar as portas?

4 comentários:

Sofia disse...

Mostrar que não se perde nada se essas portas forem fechadas...?
(É uma resposta de impulso. Não faço a mínima ideia do que estou a falar. Vai haver greve, é?)

on disse...

Fazer greve ao mesmo tempo que se chora em directo na tv perante a perpectiva de perder o emprego a curto prazo não me parece uma forma de luta muito eficaz.

Geral...

CA disse...

Nos tempos que correm concebo uma greve geral como uma manifestação extrema. Embora eu considere muitas das políticas deste governo muito erradas e considere a Ota um atentado contra o país, penso que quando a popularidade do PM anda acima dos 40% não se pode ter uma greve geral.

Assim o que fica é a greve de alguns sindicatos que andam um bocado desfasados dos trabalhadores: não protestam quando devem e protestam quando têm pouco apoio.

Edgar ... disse...

As greves só significam que existem "patrões" públicos ou privados com pouca habilidade para manipular multidões ... aí presto o meu tributo a todos os ditadores :) ...