domingo, maio 8

Perguntas sobre o ouro do Banco de Portugal


Via João Pinto e Castro.

7 comentários:

JoZe disse...

Mas isso resolveria ou apenas disfarçaria o problema? Já vendemos ouros como PT, EDP ou GALP (este último negro) e estamos onde estamos.

Anónimo disse...

Em qualquer dos casos aí está um exemplo de reservas que poderiam ser usadas para subsidiar os primeiros tempos daquelas actividades "irresponsáveis" de que falávamos (e num regime de excepção as objecções legais poderiam ser anuladas)

Usar esse ouro para reduzir um pouco o valor do bailout parece-me menos útil. Concederíamos o mesmo nas negociações e trocaríamos commodities reais (que podem vir a dar jeito num futuro default) por funny money...

A.

Anónimo disse...

Já agora, não sei se já leram (convém colecionar a informação concreta):

http://economico.sapo.pt/public/uploads/memorandotroika_04-05-2011.pdf

A.

on disse...

Bem, no caso dos Finlandeses nos complicarem a vida, servia para pagar os ordenados ao pessoal, continuar a comprar gasolina e comida. Coisas sem importancia...

Anónimo disse...

on, mas foi isso que eu disse...

Se os Finlandeses nos "complicarem a vida", o que teremos é possivelmente o default, sem sequer termos que o escolher. O ouro responde à tua pergunta anterior de como sobreviveríamos aos primeiros tempos.

A.

ps: presumo que com aquele video que postaste estás a lembrar aos Finlandeses que, tal como os ajudámos no passado, eles devem ajudar-nos agora. O que eu não sei é se "ajudar" significa permitir ou impedir o bailout :)

AD disse...

Provavelmente não vendemos porque o ouro do mundo é fraccionário: tens uma pirâmide de papel com o vértice apoiado no ouro físico e ambos, por enquanto, cotam a par...

Com o sistema monetário cada vez mais instável, fica a questão: durante quanto tempo a ficção continuará a cotar a par com a realidade...

Quando essa transição de fase acontecer, o que é mais plausível:

* a cotação dos derivados vai para zero e cotação do ouro matêm-se constante?

* a cotação dos derivados vai para zero e a capitalização total do ouro (antes realidade mais ficção, depois só realidade) mantém-se constante?

Sofia disse...

lol